Dando aulas

Praticamente todas as manhãs foram destinadas para dar aula às crianças. Seja na casa da Mama Jane, com as crianças menores da vizinhança que vem todos os dias, ou no Orfanato com crianças entre 2,5 e sete anos.

video
Dando aulas em casa

A professora Grace foi muito carinhosa comigo, deixando-me livre para fazer o que viesse à mente, como ela dizia. Ela tem 20 anos e só estudou até o secundário, não fez o High School, mas dá aula com toda a dedicação que se possa imaginar. Ela recebe 30.000 shillings por mês, o que representa cerca de 18 dólares (fiz esta conta algumas vezes, pois não conseguia acreditar).

Professora Grace, os alunos e eu

Quando se é formada, uma professora pode chegar a ganhar 120.000 shillings mensais (ou seja, 75 dólares). Mas Grace não é formada e dá aula no orfanato como voluntária, ganhando um valor simbólico e também recebendo uma ajuda para casa com produtos de limpeza e comida. Com esse dinheiro ela paga também os estudos dos irmãos. Este é o único emprego dela. Mama Jane quer ajudá-la a fazer o High School para, assim, poder ter formação para ter um melhor salário.

Enfim... (um longo suspiro)... Continuando...

Como não sou professora e não conheço de didática escolar, antes de vir para cá, pedi algumas dicas com Lu Costa, uma grande amiga pedagoga. Eu trouxe um livro com mais de 250 jogos (emprestado de Flávia, uma amiga do trabalho) e, ao chegar aqui, também recebi "tips" da Wendy (minha amiga norueguesa), que é professora.


Dando aula na escola

Enfim, foram dias de aprendizagem e brincadeiras. Pude ensinar algumas frases úteis em inglês, como: "How are you? How old are you? Where are you from? etc.

Fiz brincadeiras com as cores, com animais, com os números e também ensinei algumas músicas em inglês e danças para crianças. Tinha que ser uma "aula" bem diversificada, pois a diferença de idade dentro da classe era grande e difícil manter a atenção de todos.

video
Brincadeira imitando os animais
 
Levo cerca de 1 h para chegar à escola. São 20 minutos caminhando até a estrada, mais 15 km de Dala Dala (a super lotação) e depois de 15 a 20 minutos andando até lá (o bairro se chama Ngaramtoni).
 
Mas é recompensador ao chegar e ser recebida por cerca de 40 crianças. Todas querendo te abraçar, querendo colo (nibebe, em swahili) e receber beijos - adoram quando chego, pois encho de beijos cada um e eles acham graça.



Tomando sol de manhã na hora do lanche

Também levei alguns dos brinquedos que comprei no Brasil, e brincaram todos os dias na hora do lanche. Pelo que entendi e vi, não tinham nada para brincar até então.

No pátio da escola com as crianças

A escola é muito, muito carente. Nesta semana fui até a cidade e comprei 50 cadernos escolares para eles, pois os que tinham já estavam rasgados e alguns sendo usados pela segunda ou terceira vez.





Cadernos velhos

Cadernos novos













No final das aulas, todas as crianças voltam sozinhas a pé para suas casas, realmente muito independentes (algo inimaginável no Brasil). E eu as acompanhava, pois também era o meu caminho de volta.



Voltando da escola para casa

Hoje, foi meu último dia na escola... Triste por um lado, mas feliz por ter talvez conseguido deixar algo de mim para elas.

E de volta a casa em Ilikiurei (nome do bairro)... Buscar água, lavar roupas ou ajudar na cozinha...

Ah! Antes que estranhem as fotos... Sim, as meninas aqui de casa fizeram "Rasta" no meu cabelo, como fazem no delas. Eu estou uma verdadeira "Mwaafrika"!

Busus! (beijos!)

7 comentários:

Renato Castanhari disse...

Jessica, que experiência linda, tenho tido essa vontade de fazer algo nessa linha. Parabéns, fico imaginando o quanto isso contibui para essas crianças e o quanto para você. É uma vivência única, linda!! Beijo grande, com muita admiração.

Anônimo disse...

Je voce ja esta a caminho de volta e nao vejo a hora de te ver.
Estou muito contente e emocianado em ver que tudo deu certo, e o quanto todos estamos aprendendo com essa sua jornada e tudo que poderemos tirar dela.
Nao achei que fosse possivel te admirar ainda mais....!
Estou te esperando meu amor, vem com cuidado.
Dri

Yolanda Hollaender disse...

Que trabalho lindo, minha filha!
Momentos eternizados que marcam um sonho, um desejo, uma realização humanitária e necessária num mundo tão cheio de contrastes...
Feliz retorno!
Beijos carinhosos,
Tua mãe

Lilih disse...

Jé, fico feliz por você por mais esse aprendizado.
Espero que você traga na bagagem muita histórias para contar para a gente.
Torço por você!
Até a volta!
Beijos
Sua irmã Aline

Alessandro disse...

"Há um momento especial que acontece na vida de toda pessoa, o momento para o qual ela nasceu. Quando aproveitada, essa oportunidade extraordinária faz com que a pessoa cumpra sua missão - uma missão para a qual somente ela tem as qualificações necessárias. Nesse momento, a pessoa encontra a grandeza. Esse é seu mais maravilhoso instante." Winston Churchill - Abraços, Alessandro

Clovis disse...

oi minha querida,
acompanhei aqui os seus relatos desse lindo trabalho e suas impressões pessoalíssimas, recheadas de informações, para mim inéditas.. PARABÉNS pelo grande feito... Sem dúvida, extremamente inspirador para tds nós que acompanhamos... bj

Anônimo disse...

Jé estamos te aguardando anciosos!!! bjo Andreza Trujillo

Postar um comentário

Algumas dicas para postar um comentário: Esvreva sua mensagem. Selecione o perfil em Comentar como. Caso não tenha conta nas opções relacionadas, escolha Nome/URL.Escreva seu nome completo, desconsiderando o espaço URL.Visualize se quiser e clique em Postar Comentário. Sua mensagem será publicada automaticamente.